< Bloody Mary

Bloody Mary

Sangrento, neurótico, disperso, confuso, alcoolico, simples e muito mais...

Saturday, April 01, 2017

Outubro de 2016

Um dia que nunca ias irei esquecer... a quem já não me lê, a quem já não escrevo, sou uma bloody mary diferente, cresida, mãe de 3 crianças maravilhsas que trazem cor à minha vida cada uma à sua forma... tanto poderia dizer sobre elas, tanto poderia dizer sobre estes últimos 8 anos da minha vida em que deixei de ser só eu, passei a ser nós e a cuidar outros mais do que a mi mesma.
14 de Outubro começou como outro dia qualquer... um despertar depois de uma noite mal dormida em que a mais pequena tinha dormido mal (coisa que já era normal), e queixado-se e dores de barriga. Acordou mal disposta, a azáfama do ocstume para arrastar 5 pessoas a uma sexta feira para fora de casa... pequenos almoços, vestir, dobrar pijamas (ai que díficil9, pentear, mochilas lancheiras e sair porta fora.
A mais pequena estava rabugenta, quem não estava depois de uma noite mal dormida, e para poder recuperar o pai levô-a directamente para a escola sem passar pela escola das irmãs (isso fui eu que o fiz sosinha dessa vez).
Um dia de trabalho coplicado, estamos a terminar ERCs, estão-nos a pedir dadsos sobre anos anteriores, estamos a grir o quotidiano como podemos, às 4.30 um telefonema a dizer que a Camila não está bem e que o pai a vai buscar.
- tens a erteza que consegues?
-Sim, não te procupes, já aabei o que tenho aqui a fazer, vou buscá-la sem problema.
-OK, eu vou então buscar as outras, ligo-te quanod sair.
-combinado, bejos
-Beijos.
O dia terminou tarde para mim, acabei rabugenta e com pouco tempo para chegar À escola antes que as miudas fossem as últimas a sair. Ligo ao pai.
-Oi, estou um pouco atrasada, mas chego a tempo, vou buscar as miúdas.
-Olha eu vim para a estefânia.
-???
-Sim, ela não está bem, está muito paxuxa, deve sser uma otite ou algo, não tem febre estou aqui à espera já há duas horas, não devo tardar muito.
-ok, liga-me assim que saibas mais alguma coisa.
-Combinado.
Apahei as miudas, fomos para casa... elas estavam irrequietas, eu disse que o pai estava no hospital e ainda protestei com elas por não perguntarem pela irmã.
Chego a casa, a Catarina liga-me a dizer que encotrou o Fede no hospital.
-Olha encontrei aqui o Fede com a Camila, está tão crescida, tão bonita. Já sabes o que ela tem?
-Não, estou À espera qu e o Fede ligue.
-Estou a ver o processo dela, mas aida não tem nada... tb ele vai saber antes que eu. Foi agora fazer uma ecografia.
-Ecografia? (pensei eu? que raio terá a míuda engolido?)
-Assim que souber alguma coisa ligo.
passados uns minutos já de coração inquieto recebo um telefonema, do outro lado ua voz tremia...
-Mariana, tenho más notícias...
-O quê?
-Á Camila tem um cancro....
E neste dia tudo mudou....

Monday, November 30, 2015

Discussões

Ontem discussão...
Fico sem forças quando discutimos, fico triste e sem forças.
Detesto acusações e recriminações, não que eu não o faça também... que sim faço... mas não gosto.
Sinto-me triste... sinto-me sem apoio... brrrrrrr

Thursday, November 26, 2015

Gastros e afins...

Nesta busca de quem somos, de como interagimos com o mundo vamos cruzando-nos com pessoas que nos marcam. umas por um lado outras por outro.
Hoje decidi aqui voltar, penso que deverei voltar a fazê-lo mais amiudo.

Hoje acordei... o corpo dorido e sem forças. Faço um chá de funcho (ouvi dizer que é bom para gases, problemas intestinais e afins).
Sinto-me melhor, mas o corpo começa a acusar que tem de fazer uma limpeza.
Vou para a casa de banho e vomito um par de vezes... entretanto tenho um bebé a circundar as minhas pernas... um marido a protestar das horas (que sim... que estamos atrasados e temos estado nos últimos tempos)... uma tão, tão pouca vontade de ir levar a miúda à escola e depois de vir para o trabalho... mas TENHO.
Pego em mim... pego no carro e lá começa o trajecto matinal.
-maldito vento que sofra e quase nos leva pelo ar...
DEixo a miúda, mais uma vez entro no carro...
Conduzo com cuidado mas com pressa (maldito sol que me bate na cara e me incomoda tanto).
Chego ao trabalho...
edifício velho, húmido, frio... só quero ter uma cama para descansar.

Tenho de responder a emails e resolver uma série de coisas... primeiro email lá foi... alguém chamou À atençao que havia um erro.
Segundo email com correções.

Começam a chover chamadas e pessoas À porta... porque se sentem ofendidas, porque exigem, porque querem., porque são inseguras e lêm o email para eles... porque quando se diz para as pessoas verificarem elas não precebem que é só para verificarem... não é uma acusação.. porque nem quando uma pessoa diz que está doente há respeito... porque são CHATAS! e complicadas... Bada"$&(%&% para eles todos.

Estou cansada... doi-me todo o corpo... não quero estar aqui... e estou!
porque tenho? porque devo? why???


Thursday, August 06, 2015

Detesto quando so nos enviam baldes de merda uns atras dos outros"!!!!

Tuesday, November 12, 2013

What's Next?

Eu quando ainda no princípio da adodelscência pensava que as pessoas com 25 anos eram velhas... Cumpri os 25 anos e pensei que era tonta porque me sentia tão criança com 25 como que com 16. O Peso da responsabilidade era outro, o meu lugar no mundo era outro... mas ainda assim me sentia uma miúda!

Aos 35 já com duas filhas e a caminho de um terceiro... estou num momento de repensar! Repensar ou talvez ser obrigada e pensar pela primeira vez de verdade quem sou eu e o que quero ser quando for grande.
A 9 meses do desemprego, com uma carreira destroçada mas com muito conhecimento, transferable skills e vontade tenho de pensar no que quero! Tem sido difícil esta luta quase diária, por estar extremamente desmotivada no meu local de trabalho, por ir buscar forças a outros lados, mas que como não são a fonte dos milagres por vezes tb têm o efeito contrário, por ainda estar em processo de mudança. Esta mudança que exige tanto de nós, que assusta mas que dá esperança!

Tenho esperança de conseguir dar a volta, tenho esperança de ser valorizada... mas neste momento tudo não passa de esperança...

Friday, November 01, 2013

Onde Andam os Elogios????

Porque será que para as pessoas, em especial as Portuguesas não é fácil dizer apenas um good job.
Que a seguir tem sempre de vir um mas, ou mesmo começar a criticar e a atirar as coisas a baixo!
Porque será que só se diz o mal e tão pouco o bem?

Eu estou super contente por estar a criar uma filha elogiadora.
Sabe tão bem ouvir um "mãe a sopa está óptima".

Porque não transladar este conceito a outras direcções?
Porque não dizer bom trabalho, bom esforço, estás bonita, etc?
As críticas deveriam ser constructivas e eu aceito criticas, mas quando obtenho algo em troca e nao apenas as criticas. Tenho uma grande dificuldade em lidar com pessoas que passam a vida a deitar abaixo, principlamente quando o mal já está feito. Para quê por mais àgua na fervura? porque não dizer, correu bastante bem para um primeira vez, mas ainda há pontos a melhorar!
Para quê dizer à cabeça, isto está mal, isto tb, e isto tb, não gosto disto, disto e disto... uma pessoa tem tendência a colocar-se à defensiva... e no final se calhar não aprende tanto como poderia aprender!
Eu adoro aprender... adoro ensinar... gosto de me ultrapassar e de melhorar.
Tb sei que não sou especialmente boa a criticar... mas sei que sou boa a elogiar!
Por favor pratiquem mais o elogio, como ferramenta de motivação e de verdade... Perfeito, nunca está nada... mas pode estar bem, pode estar bom, pode estar óptimo e pode ainda melhorar... com boas guidelines! ;)

Thursday, October 10, 2013

Mudancas de vida

Faz ja quase 8 anos que sai de Portugal, para fora, para trabalhar! Para ter uma perspectiva de carreira, para avancar com a minha vida! Deixei o meu pais e fui para fora, estive fora durante 2 anos e meio da minha vida apos os quais regressei ao meu pais!
Neste tempo que estive fora, apaixonei-me, tive a minha primeira filha, percebi o quao mal formada estava e sofri na pele o preco da minha ma formacao academica. Nao bastou ser inteligente e persisntente. Nao! porque a persistencia estava no sitio errado! No repete e volta a repetir e nao no inova!!! Voltei a minha vida, mudada tanto quanto uma vida no estrangeiro nos pode mudar, com uma filha, com saudades de pessoas e de estilos de vida diferentes dos que tinha deixado na minha terra Natal. Com suadades dos meus amigos de ca! 4 anos depois de ter regressado ainda tenho saudades dos meus amigs de ca! Como e isso possivel? sei que em parte a culpa e minha mas maldita esta vida de cidade em que cada um esta para seu lado! maldita esta vida que nos faz sentir sos e dispensaveis... Malditas as pessoas que passam de nos e nos fazem sentir dispensaveis insignificantes!
Se aos 35 me sinto assim como vou conseguir sobreviver a tudo o que me espera!A minha grande preocupacao e sempre que marca vou deixar eu da minha passagem, que exemplo vou dar eu as minhas filhas? continuo sem reposta para isto! Animo-me com um projecto novo, mas canso-me, quase como uma crianca com deficit de atencao!!! Enfim!